TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco              
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui

Paia...Assada Voltar

30/03/2006

Esses Caipiras!


Como já disse antes, tive o privilégio de conhecer pessoalmente o grande Cornélio Pires. Escritor e contador de anedotas caipiras. Famoso por estudar as características do nosso caipira paulista, Cornélio era da cidade de Tietê, pertinho de São Paulo. E quando digo que o conheci é a mais pura e saudosa verdade. Tinha eu meus 10 anos de idade, na cidade de São Joaquim da Barra, quando sob o patrocínio de um guaraná famoso era apresentado um pequeno show em praça pública, onde um gordinho simpático contava causos de caipira, alinhavado por modas de viola de uma dupla de viola e violão.
Aqui vai então um causo do velho Cornélio, contado naquele dia em praça pública na minha terra, quando eu tinha 10 anos de idade e já gostava muito dessas coisas.
Um caipira, sentado na cadeira do dentista, com muita dor (de dente, é claro).
DENTISTA – O senhor quer extrair o dente?
CAIPIRA (geme) – Não sinhô. Eu quero é rancá, mêmo.
DENTISTA – Vou lhe aplicar uma injeçãozinha, o senhor vai dormir uns 5 minutos e, nesse tempo, eu lhe arranco o dente. Pois está muito inflamado e, com anestesia local, o senhor não iria agüentar. Tá bom?
DENTISTA (continua falando) – E para arrancar o seu dente eu vou cobrar apenas 10.000 réis.
O caipira tira do bolso da calça um maço de notas sujas e começa a desfia-las com a ponta dos dedos molhados de saliva.
DENTISTA (interrompendo o gesto do caipira) – Não...não... senhor. Não precisa pagar agora, não, meu amigo. Eu não cobro adiantado.
CAIPIRA (olhando para o dentista) – Quem foi que falô que eu vou pagar adiantado. Eu tô só con-tan-do pra ver quanto eu tenho. Vou lá sabê se quando eu acordar desse sono o meu dinheiro inda vai estar aqui!


Veja mais

Fordinho 29
Caipira não se aperta!
O Cotuba e suas tiradas
Um causo de viajante
Era um barbeiro pra lá de bom
Pito do Inquilino
Êta caboclo unha de fome
Nos tempos do cangaço (eu disse can-ga-ço)
Ligações que custaram caro
A galinha americana
O que é que ocê me diz, cumpadi II
O Tédio
Carro de Boi
Oração Gaúcha
Brinquedo de escondê
Confissão de Caboco*
Balada Negra*
Chico Beleza*
A Flor do Maracujá*
Estradas*

 


Rolando Boldrin

Rolando Boldrin

Conta causos fazendo a gente saborear o modo gostoso de uma boa prosa.

ATENÇÃO!
SR. BRASIL, programa de Rolando Boldrin
TV Cultura: Sábados 19:00 h / Domingos 10:00 h

Pesquisar




X















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR