TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco              
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui

Colunas Site da Granja Voltar

03/04/2008

Sobre o Google:


Sou um entusiasta do Google. Começo a coluna assim, simples e direto: o Google é a maior revolução da última década.

Temos hoje uma possibilidade de saber, ver, encontrar, ler, procurar o que quiser, e os resultados são infindáveis. É impossível ser um só no Google: lá só há espaço para a multiplicidade.

Antes da revolução micro-eletrônica e do advento da Internet os homens mais pensavam do que procuravam, mais refletiam do que olhavam, mais escreviam do que liam. Simplesmente porque havia muito mais tempo hábil para se concentrar em um só assunto, em um só tema.

Depois da aceleração do cotidiano e da revolução micro-eletrônica, a internet mostra uma velocidade em que não estávamos acostumados. Documentos chegam em minutos, ligações telefônicas a preço irrisório, descoberta de amigos e muito, mas muito mais informação para cada pessoa.

O que isso tem a ver com arte?

Tem a ver que a obra de arte perde o seu status de “raridade”, já que qualquer procura por “Monalisa” no Google traz um incontável número de resultados. Não há artista que se esconda, não há artista que queira se esconder. E junto do status “raro”, a arte perde a sua “aura”, criada justamente por uma individualidade, por uma unicidade dos instrumentos e objetos.

Tratemos isso como consequências, e explicando por que sou um entusiasta do Google.

Se, por um lado temos um problema quase crônico de escrita - “vc”, “pq”, “naum”, “blz” -, por outro lado temos o Google como um remédio a longo prazo para isso, já que buscas por “vc” e “pq” tem uma tendência a apresentar resultados em escala muito menor (isso se o google não trocar automaticamente “vc” por “você” - não até agora).

Além disso, se por um lado temos o status de “raro” sendo jogado aos sete mares – algo que irrita profundamente a elite detentora do domínio do conhecimento da cultura erudita -, por outro lado temos a socialização da arte e a necessidade urgente de uma reciclagem nos meios de se produzir e promover uma arte.

Hoje, o artista está cada vez mais dependente de apenas uma pessoa. Ele próprio.

O Google, a passos muito lentos e a sinais efêmeros, significa uma quebra de estratificação social, um óculos nas visões dos preconceitos e uma lanterna para iluminar o túnel escuro.


Veja mais

Desmitificando a hérnia de disco
TV Vagalume: Chorou ganha colo
TV Vagalume: A criança faz parte da tribo família
Bolo improvisado por Natureba TV
Queijo Vegano no Natureba TV
Batata Chips de forno que não gruda
TV Vagalume: Ajudando as crianças a lidar com a raiva
TV Vagalume: A quietude na convivência com as crianças
O que fazer quando a criança faz birra?
Biscoitos de Polvilho Colorido no Natureba TV
Leite de Coco caseiro no Natureba TV
Mousse de Chocolate na NaturebaTV
Naturvin - Cooperativa de Vinhos Naturais
Vinhos libaneses
Vinhos da Provence
Expovinis Brasil 2015
Amor e Vinho
Você sabe o que é SO2?
Degustando vinhos naturais - parte 1
Os vinhos naturais

 




Pesquisar




X

















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR