TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco              
sitedagranja
| Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui

Varal com texto Voltar

16/09/2009

Parar de fumar pode ser mais fácil


Após a aprovação da lei antifumo em São Paulo, reacendeu-se a discussão sobre o tabagismo e suas consequências, tanto para o fumante quanto para aqueles que o cercam, os chamados fumantes passivos. Transbordam informações e estatísticas a respeito dos malefícios causados pelo cigarro, e a ordem do dia é bastante clara: pare de fumar.

O que parece estar sendo esquecido é que o tabagismo é um vício difícil de se livrar e que parar de fumar na maioria das vezes requer mais do que apenas força de vontade. A nicotina presente nos cigarros é substância de alto poder de adição, semelhante ao da heroína, por exemplo. A cada ano, cerca de metade dos fumantes tenta abandonar o hábito, mas menos de 5% tem sucesso. A abstinência da nicotina é descrita com precisão: insônia, enjoo, irritabilidade, ansiedade, dificuldade de concentração, aumento de apetite, ganho de peso. Esses sintomas têm início algumas horas após o último cigarro, atingem o pico na primeira semana, e diminuem progressivamente nas semanas seguintes; momentos de fissura podem acontecer ocasionalmente por meses, e em alguns casos, anos. O ganho de peso costuma persistir por pelo menos seis meses.

As chances de sucesso na cessação do tabagismo aumentam em cinco vezes com suporte de um profissional de saúde. Diferentes tratamentos podem ser propostos, de orientações gerais à medicações específicas. As terapêuticas de primeira linha incluem produtos de reposição nicotínica (adesivos transdérmicos, chiclete, spray nasal, nicotina inalatória) e não nicotínicos (bupropiona e vareniciclina). As medicações, em especial, devem ser usada de forma cuidadosa, pois são drogas que agem no sistema nervoso central e podem ter efeitos colaterais importantes.

Hoje, 16% de nossa população ainda fuma. Medidas como aumento no preço dos cigarros e redução dos locais onde o fumo é permitido tem sua função, mas é importante auxiliar aqueles que desejam parar - estima-se que sejam 70% dos fumantes. E não somente adotar uma postura de reprovação, sem levar em conta que o tabagismo é, de fato, uma dependência química.


Dra. Mariana Rangel Maciel
Médica formada pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP - em 2003.
Residência em Clínica Médica na UNIFESP – título de especialista em Clínica Médica concedido pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica.
Residência em Psiquiatria na UNIFESP – título de especialista em Psiquiatria concedido pela Associação Brasileira de Psiquiatria.
Especialização em Psicoterapia, realizada na UNIFESP.


Veja mais

Do privilégio ao exercício da responsabilidade
Espaço Integração 17 anos
Sustentabilidade em foco
Sobre a atuação da jovem Greta
Desmitificando a hérnia de disco
TV Vagalume: Chorou ganha colo
TV Vagalume: A criança faz parte da tribo família
Bolo improvisado por Natureba TV
Queijo Vegano no Natureba TV
Batata Chips de forno que não gruda
TV Vagalume: Ajudando as crianças a lidar com a raiva
TV Vagalume: A quietude na convivência com as crianças
O que fazer quando a criança faz birra?
Biscoitos de Polvilho Colorido no Natureba TV
Leite de Coco caseiro no Natureba TV
Mousse de Chocolate na NaturebaTV
Naturvin - Cooperativa de Vinhos Naturais
Vinhos libaneses
Vinhos da Provence
Expovinis Brasil 2015

 




Pesquisar




X





















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR