TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco              
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui

Colunas Site da Granja Voltar

28/08/2013

Orgânico, natural ou biodinâmico?


A tendência a consumir alimentos orgânicos, aqueles produzidos sem agrotóxicos, vem crescendo. No universo vinícola não poderia ser diferente, com apostas cada vez maiores nos vinhos orgânicos, naturais e biodinâmicos, todos produzidos sem aditivos químicos.

Países tradicionalmente viticultores, como Espanha, França e Portugal, vêm investindo muito nessa vertente nos últimos anos. Mas o que faz um vinho orgânico de fato?

Qualquer tipo de vinho pode ser produzido sem pesticidas, sejam tintos, brancos, espumantes ou fortificados. Os considerados orgânicos são aqueles elaborados exclusivamente com uvas que não receberam agrotóxicos, pesticidas, herbicidas. Já os biodinâmicos e naturais vão um pouco mais além, com a obrigatoriedade no uso de frutas livres de aditivos e o mínimo de intervenção possível na vinificação.

É comum também a observação dos ciclos naturais, inclusive a posição dos astros, para conduzir as plantações, além do uso de compostos naturais para fortalecer o solo e proteger as videiras das pragas. Nesse tipo de vinho, opta-se por leveduras selvagens ou indígenas - presentes naturalmente nas cascas das uvas - e abre-se mão de uma série de recursos utilizados nos vinhos convencionais, como enzimas, corretores de acidez e o onipresente anidrido sulfuroso, o SO2 (que é o conservante do vinho), um potente conservante que, em excesso, dificulta o trabalho do fígado na degradação do álcool. Nos biodinâmicos e naturais, o uso de SO2 é mínimo ou inexistente.

No paladar e na aparência, a diferença entre rótulos convencionais e aqueles sem aditivos não é necessariamente nítida – com exceção dos naturais, que costumam ser turvos (um vinho turvo, é aquele que não se enxerga o fundo da taça), por não passarem por filtragem. A maneira como os orgânicos em geral são produzidos faz com que sejam uma tradução sem filtro do terroir (lê-se terroá, conjunto das características de uma determinada parcela de terra que transmite originalidade e qualidade ao vinho).

É uma delícia degustar vinhos puros, sem agrotóxicos. Como bônus, esse tipo de produção está alinhada ao conceito de sustentabilidade e preservação do planeta. O agricultor não precisa de máscaras e luvas para manipular suas plantas, já que o meio ambiente fica livre de substâncias tóxicas. É vida para todos nós, sem contaminação.

Se tiver dúvidas sobre a autenticidade das bebidas, é só observar o rótulo: todos os orgânicos, biodinâmicos e naturais costumam apresentar selos de certificação bem visíveis. Os profissionais lembram que o pouco (ou nenhum) uso de anidrido sulfuroso nesse tipo de vinho causa menos dor de cabeça.

O preço é outro fantasma que costuma afastar o consumidor dos rótulos mais naturais, mas os especialistas garantem que é possível, sim, encontrar opções com ótimo custo-benefício. O universo de orgânicos é muito pequeno, menos de 10% da produção mundial se enquadra nessa categoria. Por isso, muita gente acha que são mais caros, mas nem sempre é verdade.


Veja mais

Desmitificando a hérnia de disco
TV Vagalume: Chorou ganha colo
TV Vagalume: A criança faz parte da tribo família
Bolo improvisado por Natureba TV
Queijo Vegano no Natureba TV
Batata Chips de forno que não gruda
TV Vagalume: Ajudando as crianças a lidar com a raiva
TV Vagalume: A quietude na convivência com as crianças
O que fazer quando a criança faz birra?
Biscoitos de Polvilho Colorido no Natureba TV
Leite de Coco caseiro no Natureba TV
Mousse de Chocolate na NaturebaTV
Naturvin - Cooperativa de Vinhos Naturais
Vinhos libaneses
Vinhos da Provence
Expovinis Brasil 2015
Amor e Vinho
Você sabe o que é SO2?
Degustando vinhos naturais - parte 1
Os vinhos naturais

 




Pesquisar




X

















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR