TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco              
sitedagranja
| Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui
Voltar

10/08/2020

De volta para o laranja

Carapicuíba e outras cidades da sub-região oeste foram reclassificadas e regridem


A atualização do Plano São Paulo, anunciada na sexta-feira, não trouxe boas novidades para a região. Cidades da sub-região Oeste como Barueri, Carapicuíba, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus e Santana do Parnaíba regrediram e voltaram da fase amarela para a laranja. Com isso, juntam-se à sub-região Norte da Grande São Paulo (Caieiras, Cajamar, Francisco Morato, Franco da Rocha e Mairiporã), que estavam na fase laranja e permaneceram. 

Cotia, Embu das Artes, Vargem Grande Paulista e demais cidades da sub-região Sudoeste continuam na fase amarela. 

Na fase laranja, só é permitido o funcionamento de imobiliárias, escritórios em geral, comércio de rua, shoppings e concessionárias com 20% da capacidade de público e por apenas 4 horas consecutivas todos os dias ou 6 horas, durante quatro dias e fechamento por 3 dias.

Volta então a ficar suspenso o funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes, barbearias, salões de beleza, academias, parques, clubes e espaços públicos de lazer.

Conforme explicado em coletiva de imprensa, as sete cidades da região foram rebaixadas em função do aumento do número de mortes e casos confirmados de Covid-19. 

“No caso da Região Oeste, nós tivemos um aumento de internações, de casos e de óbitos. De internações, o aumento foi de 7%; óbitos, 11%; e casos, 43%. O aumento de óbitos, que foi o principal ponto, fez com que a região retrocedesse para a fase laranja”, explicou a Secretária Estadual do Desenvolvimento Econômico, Patrícia Helen.

A decisão não foi bem recebida por alguns prefeitos da região, que disseram que vão continuar na fase amarela por decisão própria. É o caso de Rubens Furlan, de Barueri.

"Estamos cumprindo rigorosamente todas as exigências do Estado e estamos abaixo dos índices exigidos para que Barueri permaneça na fase amarela. Temos acompanhado a diminuição no número de incidência de Covid-19 no município, diminuindo índice de internações e mortalidade. Nós temos, hoje, mais de 40% de todos os equipamentos disponíveis. UTI disponível. Leitos de internação disponíveis. Ventiladores mecânicos disponíveis. Estamos em uma situação superior a muitos municípios. Não há nenhuma razão para Barueri estar na fase laranja determinada pelo Estado", ressaltou o prefeito.

Rogério Lins, de Osasco, também vai à justiça para não cumprir a determinação do Governo do Estado. 

Marcos Neves, Prefeito de Carapicuíba, realizou uma transmissão ao vivo nesta segunda-feira (10) e comentou o retrocesso. Segundo ele, o número de casos de Carapicuíba aumento porque a cidade vem realizando testagem em massa de sua população. Até esta segunda-feira, Carapicuíba contabilizava 5525 casos confirmados da Covid-19, 4915 curados e 235 óbitos.

“Nós já fizemos um pedido ao governo do Estado para fazer a reavaliação, para que possamos continuar na fase amarela. Mas até lá infelizmente, estamos na fase laranja”, disse Neves. Com a reclassificação da sub-região a cidade de Carapicuíba volta, na prática, a ter maiores restrições.

Itapevi também acatou a volta à fase laranja no Plano São Paulo. Mesmo assim, a administração municipal reforçou que não concorda com a decisão e que aguarda posicionamento judicial para poder seguir na fase amarela de reabertura da economia.


Critérios para estar na faixa amarela

Taxa máxima de ocupação de UTI para uma região passar da fase laranja para a amarela é de até 75%.

Taxa máxima de ocupação de UTI para uma região passar da fase amarela para a verde é um percentual entre 70% e 75%.

Foram acrescentados os critérios de óbito e internação para cada 100 mil habitantes para que uma região passe da fase amarela para a verde.

Regiões devem passar 28 dias consecutivos na fase amarela antes de evoluírem para a fase verde.


Os critérios que baseiam a classificação das regiões são:


  • ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs);
  • total de leitos por 100 mil habitantes;
  • variação de novas internações, em comparação com a semana anterior;
  • variação de novos casos confirmados, em comparação com a semana anterior;
  • variação de novos óbitos confirmados, em comparação com a semana anterior.
  • Na fase verde também é considerado óbitos e casos para cada 100 mil habitantes;

Esses critérios definem em qual das cinco fases de permissão de reabertura a região se encontra:

Fase 1 - Vermelha: Alerta máximo

Fase 2 - Laranja: Controle

Fase 3 - Amarela: Flexibilização

Fase 4 - Verde: Abertura parcial

Fase 5 - Azul: Normal controlado

Reabertura de setores da economia:

Fase vermelha: Permitido o funcionamento apenas de serviços essenciais.

Fase laranja: Também podem reabrir imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércio e shoppings podem reabrir, mas com restrições.

Fase Amarela: Também podem reabrir salões de beleza, bares, restaurantes, academias, parques e atividades culturais com público sentado podem funcionar, mas com restrições.

Fase verde: Também podem reabrir eventos, convenções e atividades culturais com público em pé poderão voltar a acontecer quando houver uma estabilidade de quatro semanas do estado de São Paulo na fase verde (4), também com restrições.



 

Pesquisar




X



















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR