Fone: (11) 4617-3641 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco            
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui
Voltar

15/04/2010

Moradores da

Apesar do asfalto da Estrada Fernando Nobre ter sido recapeado recentemente pela prefeitura, conforme matéria publicada em 18/03 (leia matéria), os moradores da região continuam sofrendo com as condições da estrada e reclamam da situação.


Apesar do asfalto da Estrada Fernando Nobre ter sido recapeado recentemente pela prefeitura, conforme matéria publicada em 18/03 (leia matéria), os moradores da região continuam sofrendo com as condições da estrada e reclamam da situação.

Claudio Buny afirma que "os buracos são mais rápidos que a prefeitura" e Márcio Tavares de Jesus informa que "utilizo a estrada todos os dias, e a cada dia os buracos aumentam e muitos motoristas acabam avançando para a pista contrária".

Lisa Neaime, moradora do condomínio Nova Higienópolis, afirmou que ainda há muitos buracos na estrada, e o pior de tudo é que eles são fundos, a ponto de fazer com que o motorista perca o seu pneu, "como o recapeamento é feito de qualquer jeito, qualquer chuva que cai faz com que os buracos reapareçam".

Outro fator de frustração, segundo a moradora, é a falta de segurança. Embora a maior parte da estrada esteja iluminada, existem trechos sem nenhuma iluminação.

A moradora do condomínio São Fernando Residence, Cíntia Contreiros, considera a estrada horrorosa, "no recapeamento a prefeitura tampa apenas os pequenos buracos. No trecho que está localizado depois do Templo Zu Lai está detonado, não dá para passar nem dois carros ao mesmo tempo".

Cíntia acredita que isso é um desrespeito devido ao grande número de moradores que circulam por ali todos os dias, "a estrada é perigosa, não tem acostamento, é interditada sempre que quebra algum carro e possui trechos sem visibilidade alguma". A Estrada Fernando Nobre faz fronteira com dois municípios: Cotia, no trecho que vai da Raposo Tavares até um pouco adiante do condomínio Colinas de São Fernando e Jandira, aonde estão situados o Forest Hills, São Fernando Residence e o Nova Higienópolis.

Alguns moradores desta região aderiram a uma rota alternativa para voltar para casa, mais curta. Trata-se de um "atalho" que liga o condomínio Fazendinha, saindo pela portaria do Chácaras do Peroba, passando por Barueri e chegando na Estrada Fernando Nobre por Jandira.

Entretanto, na noite da quinta feira passada, dia 8, houve um assalto neste trajeto, na Alameda Chile. Segundo o porteiro Anderson, do condomínio Fazendinha, apenas um carro foi assaltado e levaram o celular e R$ 50,00 da vítima, mas de acordo com os motoristas que circulavam por ali, os assaltantes colocaram um carro atravessado na rua, várias viaturas policiais foram deslocadas e os motoristas que se dirigiam ao local eram avisados para desviar o caminho.

Esta estradinha também se encontra em péssimas condições, o que contribui para aumentar o medo dos moradores. A estrada é um lugar ermo, esburacado e ainda por cima sem iluminação e sinalização.

Lisa costuma acessar essa estrada apenas durante o dia porque tem receio de circular a noite, "apesar da estrada ser assustadora, cheia de buracos e sem proteção, eu passo por ela com frequência por uma questão de praticidade".

Já Cíntia frequenta a estrada durante o dia e a noite, "essa estradinha é horrível, por ter uma circulação muito grande de carros, a prefeitura responsável deveria asfaltá-la e melhorar as suas condições para diminuir a possibilidade de risco dos motoristas que necessitam passar por ela".

Sem opções, os moradores da Fernando Nobre se encontram aprisionados. Na tentativa de evitar uma estrada que dá acesso aos principais condomínios e à Raposo lotada, os motoristas arriscam por uma pior ainda, porém mais curta.

Mas a questão é: para quem reclamar? Em poucos quilômetros os moradores atravessam 4 municípios, Cotia, Jandira, Barueri e Carapicuíba. Talvez seja esta a região que mais sofra na Granja Viana com esta subdivisão em vários municípios. A problemática da falta de transporte público, por exemplo (leia matéria), também esbarrou no mesmo problema, ficou sem dono, sem a quem reclamar.

Talvez a solução sejam ações intermunicipais como a tomada recentemente em relação a segurança pelo Grupo GGI-I , Gabinete de Gestão Integrada Intermunicipal, que reuniu vários representantes de municípios da região oeste. Leia matéria sobre o encontro do GGI-I.

- Veja mapa da região com demarcação do atalho, e local do assalto


Marina Novaes
Fotos: Ligia Vargas








 

Pesquisar





















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR