TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco            
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui
Voltar

25/06/2009

Mirna e as árvores caídas -

Domingo passado, dia 21, à tarde, Mirna Oliveira, com seus cabelos muito curtos, se sentou sobre uma manta branca, abriu um livro e leu para seus convidados.


Domingo passado, dia 21, à tarde, Mirna Oliveira, com seus cabelos muito curtos, se sentou sobre uma manta branca, abriu um livro e leu para seus convidados... Seu pai, ao seu lado, tocava flauta... em volta dela, de todos nós que estávamos lá, pedaços de árvores cortados... devastação de um pedaço de uma mata. Mas não era um ato de protesto, era uma homenagem... era amor... pelas árvores, pelas palavras que traziam a idéia da regeneração... Recomendo o livro que ela leu...

E leia agora o texto que ela fez convidando a todos:

Olá,

Não sei se vocês sabem da área da São Camilo que foi desmatada para a construção daquele novo condomínio. Ficou um pedaço muito triste, parece que passou um furacão. Enfim, aquilo mexeu bastante comigo. Então eu estava lendo um livro que se chama "Ciranda das Mulheres Sábias" da Clarissa Pinkola Estés e tem um capítulo que fala sobre as árvores. Fala sobre como embaixo de cada árvore há outra árvore e que esta árvore subterrânea alimenta a árvore aparente. Então ela conta a história de um carvalho enorme, muito antigo, que ela viu ser cortado em sua infância, e da tristeza que muitos sentiram com a aparente morte daquela árvore, depois conta de como aos poucos foram brotando sete novas árvores daquele enorme tronco, e fala de como mesmo quando a árvore visível morre, a árvore subterrânea pode continuar a nutrir e a vicejar. A partir disso ela faz uma relação com a estrutura da nossa psique, de como funcionamos de maneira parecida com as árvores. Fiz o link imediato com aquele lugar. Me deu vontade de contar essa história ali, para algumas pessoas. Acho que seria uma maneira de homenagear aquela mata que esteve lá um dia, e também de fazer brotar um aprendizado de algo tão triste.
Eu queria fazer isso nesse domingo. Um beijo grande

Mirna


Fotos: Ligia Vargas

Jany Vargas, granjeira, escritora, apaixonada por dança, idéias, pessoas e suas histórias.









 

Pesquisar




X















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR