Fone: (11) 4617-3641 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco            
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui
Voltar

13/08/2009

Familia de Alta Performance

Para o psiquiatra Içami Tiba, as famílias estão precisando de uma bússola.


Para o psiquiatra Içami Tiba, as famílias estão precisando de uma bússola. Seu mais recente livro "Familia de Alta Performance", que já figura entre os mais vendidos, propõe-se a discutir mudanças na família moderna. Na sua opinião, essa nova família está refém dos "destemperos" dos filhos. "Dá-se poder a quem não tem competência para exercê-lo", dispara Tiba.

Em entrevista ao site uol, o psiquiatra afirma que consequência desse modo de funcionamento familiar prejudica a todos. Os filhos mimados crescem com uma baixa tolerância à frustração e, quando adultos, têm problemas em enfrentar as dificuldades. "Não aguenta uma contrariedade e larga a faculdade, não aguenta o chefe, vira as costas e abandona o emprego", exemplifica Tiba.

Os pais, por sua vez, ficam à mercê das vontades dos rebentos e sofrem mais quando os veem fracassando diante dos obstáculos. Segundo ele, a dificuldade em enfrentar as adversidades tem feito, inclusive, alguns casais desistirem de ter filhos.
Para Içami Tiba, um jeito de resolver esses impasses é trazer para o seio familiar conceitos e atitudes que os pais adotam em suas vidas profissionais. A meritocracia é um deles.

Eliminar o sofrimento de maneira imediata é a maior preocupação dos pais, acredita Içami tiba. "Se o menino está gritando, o pai quer que ele pare", diz. Sem pensar, contudo, que agradá-lo só vai tornar o próximo escândalo maior.

O psiquiatra define a atitude da maioria dos pais como se estivessem fazendo uma "gentil poupança". É a reserva para as recompensas dos que não cumprem o trato. Se o pai combina de viajar com a família caso os filhos tirem boas notas e descumpre o combinado com o filho que ficou de recuperação, ele está formando um gentil poupança com esse filho e estimulando-o a conseguir o que deseja sem esforço.

A saída, na opinião do terapeuta, é encontrar um jeito de não punir ambos os filhos. "Se dá para os dois ou tira dos dois é injustos", explica. Sua sugestão é viajar e deixar o filho "em recuperação" com a tarefa de estudar durante a viagem.

"O pai, na vida fora de casa, age de maneira bastante diferente", afirma Tiba. Para ele, um boa estratégia é usar a maneira de reagir na vida profissional dentro de casa. "Pais têm de ser mais líderes que chefes de família." Um bom líder não precisa ficar em cima da sua equipe para saber se está cumprindo suas tarefas.


 

Pesquisar





















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR