TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco              
sitedagranja
| Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui

Planeta Eu

10/08/2016

O mapa!


Prometi na crônica anterior que falaria do mapa que nos capacitaria a sairmos da “ditadura” das nossas personalidades para podermos nos perceber como seres espirituais. Para quem não leu a crônica anterior (Qual seu número?), disponível aqui na minha coluna, explico que estou falando do Eneagrama, uma figura geométrica de nove pontas, às quais foram atribuídos nove tipos de personalidade. Sugiro que você leia a crônica e faça o teste para saber qual é seu número, como é sua personalidade.

O mapa é uma criação dos autores do livro: “A sabedoria do Eneagrama”, mas antes que eu fale dele, coloco aqui uma definição mais completa de cada tipo (fez o teste? Sabe seu número?)

Tipo 1: O Reformista
Tipo idealista, seguidor de princípios.

Éticas e conscienciosas, as pessoas do Tipo 1 têm um senso muito claro do que é certo ou errado. São professores e cruzados que sempre lutam para melhorar as coisas, mas têm medo de errar. Organizadas, ordeiras e meticulosas, elas tentam viver conforme altos padrões mas podem resvalar para a crítica e o perfeccionismo. Costumam ter problemas com impaciência e a raiva reprimida. Em seu aspecto mais positivo, quando se encontram na faixa saudável, essas pessoas são criteriosas, ponderadas, realistas e nobres, além de moralmente heróicas.

Tipo 2: O Ajudante
Tipo compreensivo, voltado para o lado interpessoal.

As pessoas do Tipo 2 são amigáveis, generosas,empáticas, sinceras e afetuosas, mas podem ser também sentimentalistas e aduladoras, esforçando-se para agradar os outros a qualquer preço. Sua maior motivação é chegar perto dos demais e, por isso, muitas vezes tentam tornar-se necessárias. Costumam ter dificuldade em cuidar de si mesmas e reconhecer suas próprias necessidades. Em seu aspecto mais positivo, quando se encontram na faixa saudável são pessoas altruístas e desprendidas que amam a si mesmas e aos demais incondicionalmente.

Tipo 3: O Realizador
Tipo adaptável movido pelo sucesso.

As pessoas do Tipo 3 são seguras de si, atraentes e encantadoras. Ambiciosas, competentes e sempre prontas a agir, elas podem deixar-se orientar muito pelo status e pela ideia de progredir na vida. Muitas vezes preocupam-se com a própria imagem e o que os outros pensam a seu respeito. Seus problemas geralmente são a paixão excessiva pelo trabalho e a competitividade. Em seu aspecto mais positivo quando se encontram na faixa saudável são pessoas autênticas que se aceitam como são e de fato representam tudo aquilo que parecem ser: modelos que a todos inspiram.

Tipo 4: O Individualista
Tipo romântico, introspectivo.

As pessoas do Tipo 4 são atentas a si mesmas, sensíveis, calmas e reservadas. São emocionalmente honestas e não tem medo de revelar-se como são. Mas estão sujeitas a flutuações de humor e inibições. Podem mostrar-se desdenhosas e agir como se não estivessem sujeitas às mesmas leis que os demais, ao mesmo tempo que se esquivam das pessoas por sentir-se vulneráveis e cheia de defeitos. Seus problemas mais comuns são o comodismo e a autocomiseração. Em seu aspecto mais positivo, quando se encontram na faixa saudável são pessoas muito criativas e inspiradas, capazes de renovar-se e transformar as próprias experiências.

Tipo 5 O investigador.
Tipo concentrado, cerebral.

As pessoas do Tipo 5 são alertas, perspicazes e curiosas. Conseguem abstrair-se de tudo e concentrar-se no cultivo de ideias e dons os mais complexos. Independentes e inovadoras, quando excessivamente dedicadas a seus pensamentos e construtos imaginários, podem mostrar-se distantes e irritadiças. Em geral seus maiores problemas são o isolamento, a excentricidade e o niilismo. Em seu aspecto mais positivo, quando se encontram na faixa saudável as pessoas do Tipo 5 são como pioneiros e visionários que vivem adiante de seu tempo e veem o mundo de uma forma interiormente nova.

Tipo 6: O partidário
Tipo dedicado que valoriza a segurança.

As pessoas do Tipo 6 são esforçadas, responsáveis e dignas de confiança, mas podem ser defensivas, evasivas e muito ansiosas, estressando-se só de reclamar do stress. Costumam ser indecisas e cautelosas, mas podem mostrar-se reativas, desafiadoras e rebeldes. Seus problemas mais comuns são a insegurança e a desconfiança. Em seu aspecto mais positivo, quando se encontram na faixa saudável, as pessoas deste tipo são dotadas de muita estabilidade e autoconfiança, defendendo corajosamente os mais necessitados.

Tipo 7 : O Entusiasta
Tipo produtivo, sempre ocupado.

As pessoas do Tipo 7 são versáteis, espontâneas e otimistas. Práticas, brincalhonas e joviais, podem mostrar-se dispersivas e pouco disciplinadas tendendo a assumir mais responsabilidades do que poderiam dar conta. Sua eterna busca de novas emoções pode levá-las a não terminar o que começaram, exaustas pelo excesso de atividade. Seus maiores problemas são geralmente a superficialidade e a impulsividade. Em seu aspecto mais positivo, quando se encontram na faixa saudável, as pessoas do Tipo 7 mostram-se capazes de concentrar-se em metas louváveis realizando-se e tornando-se cheias de alegria e gratidão.

Tipo 8 : O desafiador
Tipo forte e dominador.

As pessoas pertencentes ao Tipo 8 são seguras de si, firmes e assertivas. Protetoras, talentosas e decididas, podem ser também orgulhosas e dominadoras. Por achar que precisam controlar  o meio em que vivem as pessoas deste tipo mostram-se muitas vezes contenciosas e intimidadoras. Seu maior problema é a dificuldade de compartilhar a intimidade. Em seu aspecto mais positivo, quando se encontram na faixa saudável, as pessoas deste tipo são mestras de autodomínio – usam sua força para melhorar a vida dos outros mostrando-se heroicas, magnânimas e, às vezes, deixando sua marca na História. 

Tipo 9 : O Pacifista
Tipo descomplicado, de fácil convivência.

As pessoas deste Tipo são constantes, crédulas e receptivas. Têm bom gênio, bom coração e são fáceis de contentar, mas podem ir longe demais na disposição de ceder para manter a paz. Em sua ânsia de evitar conflitos podem exagerar na complacência minimizando todos os entraves que surgirem. Seus maiores problemas são a passividade e a teimosia. Em seu aspecto mais positivo, quando se encontram na faixa saudável, as pessoas do Tipo 9 são incansáveis em sua dedicação a aproximar os demais e resolver mal-entendidos.

O MAPA: Jornada de ampliação de consciência

Começa no número 9: Presença
Ação: Se observar
Etapa seguinte:

Ponto 1 : Ver

Com o apoio da presença enxergarmos quando estamos enganchados em algum assunto, pessoa, estado de ser.

Ponto 2: Dizer
Aqui olhamos para a nossa emoção e nomeamos: “estou com raiva, medo, fome etc. “Simplesmente verbalizamos com franqueza o que sentimos, sem analisar, nem julgar.

Ponto 3: Sentir
Saímos da mente e nossa atenção se foca no corpo. Onde nele está a emoção que foi identificada? Onde está a raiva? Na mandíbula? Nos olhos? Neste ponto sentimos a tensão, não pensamos sobre ela, nem a enxergamos com os olhos. Simplesmente sentimos o que se passa no momento.

Ponto 4:  Manter.
Não fugimos da sensação que foi encontrada no corpo. Aguentamos o desconforto e possivelmente veremos surgir mais tristezas, raivas, mais sentimentos que costumam ficar ainda mais escondidos. Aguentamos, mantemos, sustentamos.

Ponto 5: Relaxar.
As tensões físicas e emocionais cedem sozinhas. Sensação de leveza e de mais presença no corpo e nos sentimentos. Pode ser que aqui apareçam de novo outras camadas de emoção nos tornando tensos novamente, mas se conseguirmos nos manter relaxados as emoções  e estados mentais começarão a perder sua força.

Em outras palavras a luz da percepção dissolve os padrões emocionais e as tensões físicas.

Ponto 6: Respirar.
Deixar que o relaxamento do ponto 5 toque nossa respiração. A respiração centra e libera os bloqueios de energia. A cada vez que ela fica mais profunda e relaxada os padrões vão se alterando. A ideia é não fugir mais dos problemas emocionais, mas sim enfrentá-los e continuar respirando. Assim ficamos mais expandidos, centrados e reais.

Ponto 7: Reconectar
Começamos a nos deixar afetar pelo sensorial. A percepção vai agora para o lugar imediato onde estamos (qual é a luz que está no ambiente?) e para o mais abrangente (Planeta Terra). Nossas historinhas não fazem mais sentido. Caem por terra. Não reagimos mais como antes. Nossas implicâncias com os outros agora estão substituídas pela consciência da profundidade e complexidade, nossa e deles. Na interação com eles agora estaremos abertos para vê-los de verdade e não mais a interpretação que temos deles.

Ponto 8: Reenquadrar
Posicionamos de outra maneira a situação ou pessoa lá do início da jornada com que tínhamos enganchado.

Agora temos objetividade para analisar a situação e também equilíbrio e lucidez. Descobrimos uma forma melhor de lidar com ela.

Exemplo: Se estivermos com raiva de alguém, conseguiremos ver a mágoa e o medo dessa pessoa e por isso falaremos com ela com maior compaixão e aceitação. Podemos também concluir que estamos colocando o chapéu mais alto do que a mão alcança e que precisamos de ajuda.

Ou seja, a perspectiva é mais ampla.

Finalmente voltamos ao 9 (presença) e estamos com a consciência ampliada para a qualquer momento voltar a percorrer essa jornada com esse mapa e de modo cada vez mais fácil e rápido.

Os autores chamam esse processo de Eneagrama da Renúncia.

Alguns trechos foram totalmente copiados do livro e outros adaptados. A ideia é possibilitar que esse conhecimento tão interessante e útil se torne mais e mais acessível. Espero ter colaborado. Sugiro a leitura do livro porque ali tem muito mais informação da que pude passar aqui.

A Sabedoria do Eneagrama: Don Richard Riso e Russ Hudson.
Tradução Marta Rosas de Oliveira
Editora Cultrix

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando enxergamos essa situação saímos da personalidade e entramos na consciência (no outro Eu) e assim passamos para o próximo passo (número 1)

 

 

 


Veja mais

My name is Jony!
Você sabe perguntar?
Olha o passarinho!
Você está melhor?
No Baile com Hitler
Ela não veio
Santa ou maligna?
Isso é verdade ?
Sim, ele respondeu!
Ser cantora ou ciumenta?
Pirei na Batatinha!
Leva meu coração?
Eu minto sim!
Nana Nenê!
Os mansos e o presente
Vamos de mãos dadas!
Zezinho Bruce e eu, no Crepúsculo!
Papai Mamãe: um Clássico!
Piquenique com os Seres de Luz!
Sou feia!!

 


Jany

Escritora e Focalizadora de Dança Circular no UlaBiná.

Pesquisar




X



















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR