TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco              
sitedagranja
| Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui

Paia...Assada Voltar

28/09/2006

Chico Beleza*


:Autor: Catullo da Paixão Cearense

Entonce logo os apóstro,
àssombarando o istruvío,
cada um seu pé de verso
cantava no disafío.

A Mãe de Cristo chorava
e as água que derramava
da fonte do coração,
caía nas cora santa
da viola de São João !

Pru via disso é que o pinho,
instrumento sem rivá,
quando se põe-se chorando,
se põe-se a gente a chorá”.

Foi aí, nesse festêro,
que eu vi o Chico Sambêro,
um sambadô sem sigundo,
mas porêm feio, tão feio,
que toda a gente dizia
que foi o hôme mais feio
que Deus butou nêste mundo !

Tinha a cara de priguiça,
cabeça de mono veio,
e pescoço de aribú !
A bôca quando se ria,
taquarmente paricía
a boca de um canguru !
Tinha as orêia de pôrco
e os dente de caitetú !
Tinha barriga de sapo,
e o nariz impipocado,
figurava um ginipapo !
Os braço era taliquá
dois braço sirigaitado
dum véio tamanduá !
Os óio–dois birimbau !
As perna fina alembrava
as perna dum pica-páu !
O quêxo de capivara
tinha um bigode purriba,
que quáge tapava a cara !
Os cabelo surupinho
era, sem tirá nem pô,
cabelo de pôrco-ispinho !
Im concruzão, pra findá,
tinha os dedo de gambá,
os ombro redondoe chato
e os pé que nem pé de pato!

Inda mais: pra cumpretá
aquela xeringamança
e feiúra de pagóde,
o hôme, quando se ria,
era um cavalo rinchando,
e quando táva suando,
tinha um ôroma de bóde.

Apois bem. Êsse raboêza,
que era prú todas as bôca
chamado : Chico Beleza ;
êsse horríve lubizôme,
que era mais feio que a fome,
mais feio que o Dêmo inté,
quando as perna sacudía,
sambando nargum banzé,
infeitiçando as viola,
apaxonando as muié,
trazia tôda as cabôca,
cumo um capaxo, dibaxo
das duas sóla dos pé !!!

*Poemas selecionados e declamados por Rolando Boldrin no programa Sr. Brasil.


Veja mais

Fordinho 29
Caipira não se aperta!
O Cotuba e suas tiradas
Um causo de viajante
Era um barbeiro pra lá de bom
Pito do Inquilino
Êta caboclo unha de fome
Nos tempos do cangaço (eu disse can-ga-ço)
Ligações que custaram caro
A galinha americana
O que é que ocê me diz, cumpadi II
O Tédio
Carro de Boi
Oração Gaúcha
Brinquedo de escondê
Confissão de Caboco*
Balada Negra*
A Flor do Maracujá*
Estradas*
Final de Ato*

 


Rolando Boldrin

Rolando Boldrin

Conta causos fazendo a gente saborear o modo gostoso de uma boa prosa.

ATENÇÃO!
SR. BRASIL, programa de Rolando Boldrin
TV Cultura: Sábados 19:00 h / Domingos 10:00 h

Pesquisar




X























© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR