TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco              
sitedagranja
| Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui

Minha Vida Animal

10/12/2020

Cães e férias de verão


Nos próximos meses a temperatura vai esquentar, por isso precisamos redobrar os cuidados com os passeios rotineiros. Os cães regulam a temperatura pela respiração e salivação, pois não transpiram como nós pelas glândulas sudoríparas da pele. Então, se ele estiver ofegante, ele está com calor e está trabalhando para aliviar esse desconforto, e isso não é muito rápido.

Aí vão algumas dicas:

·       Verificar a temperatura do chão que o cão andará, pode ser com as mãos mesmo, durante 20 ou 30 segundos como um termômetro para a pata do cão. Se estiver muito quente pra você também vai estar muito quente pra ele;

·         Prefira o começo da manhã ou no fim da tarde para que a temperatura já esteja mais amena;

·         Tente fazer o percurso em parques, praças ou ruas mais arborizadas e portanto com mais sombras; 

·         Com cães de pelagem clara e pele clara ou albina, redobrar o cuidado com áreas expostas ao sol como orelhas, focinho, patas e barriga. Existem protetores solares especiais para cães e seu uso é altamente recomendável nesses casos;

·         Cães de pelagem escura esquentam mais rápido ao sol, melhor que andem sempre na sombra e em dias mais frescos;

·         Cães obesos também sofrem mais pois a camada de gordura que possuem dificulta a perda de calor do corpo;

·         Note se seu cão está ofegante demais para saber quando diminuir o ritmo do passeio ou interromper a atividade física.

É extremamente importante que logo após o exercício físico o cão não se alimente e que ele  beba água com calma e sem exageros, pelo menos até o organismo dele se acalmar e voltar ao normal, evitando assim torções gástricas que são muito perigosas e podem até levar ao óbito de nosso companheirinho. 


Lembre-se de tomar mais cuidado ainda se você é tutor de raças braquicefálicas (focinho curto como buldogue francês, pugs, buldogues ) ou raças de trabalho na neve, de origem em locais frios, geralmente mais peludos (husky siberiano, chow chow e akita) e em dias muito quentes têm mais probabilidade de falta de ar,  desmaios e até hipertermia. Essas raças demonstram mais desconforto térmico em dias quentes, portanto uma dica é aumentar a umidade do ar, pois isso facilita para o cão se refrescar mais rápido, então se tiver um umidificador de ar em casa, use nos dias mais quentes. 


Os cães e gatos têm a temperatura corporal média maior que a dos humanos, então se atente se ele tem água fresca disponível o tempo todo e observe o quanto seu cão bebe. Para incentivar que beba mais água ao longo do dia, você pode espalhar mais potes de água fresca pela casa, dar a ele gelo, dar água de coco natural ou congelada, ou mesmo alimentação congelada em pedaços, como bananas, melancias e maçãs (sem sementes);  isso pode ajudá-lo a se refrescar e a se hidratar. Brincadeiras com mangueira e muita água está liberada para os cães que não possuem nenhuma contraindicação veterinária. 


 Muitos ainda acreditam que a tosa é um aliado quando o objetivo é conforto térmico do cão, porém não é bem assim que a pelagem funciona. Na verdade, os pelos dos nossos amiguinhos de quatro patas agem como um isolante térmico para eles, impedindo que a temperatura externa machuque sua pele, seja no inverno extremo em que o pelo ajuda a se manter quente, ou no verão em que ele ajuda a se manter fresco. Tosa por completo pode facilitar um superaquecimento e queimaduras pelo sol, mas existem outras tosas que tiram o excesso de pelo do cão sem tirar sua proteção térmica. O ideal é consultar o médico veterinário de sua confiança para saber a forma certa de tosar a raça que você tem em casa, pois cada pelagem tem suas particularidades.    

 

Há sinais que seu cão pode mostrar de que o calor que está sentindo é perigoso: são eles a salivação excessiva, a língua e as gengivas pálidas, além da gengiva e outras mucosas cinza-azuladas. Neste caso deve-se levar o animal ao veterinário mais próximo, o quanto antes. 


Sendo um tutor consciente e tomando todos os cuidados com seu amiguinho peludo, não há porque ficar tenso, aproveite as férias junto a quem você ama, tanto humanos quanto com seus pets e prefira passeios e hospedagens pet-friendly (que aceitam pets) e não os exclua dos seus planos. 


Cada vez mais vem surgindo este tipo de serviço no ramo da hotelaria e muitos estabelecimentos tradicionais estão se ajustando para atender o público que gosta de levar junto seu animalzinho aonde quer que vá. Mas se nos seus planos seu pet não pode ser incluído, tudo bem, existem muitas hospedagens para cães e gatos. Vá visitar e conhecer o lugar e o procedimento e só feche contrato se estiver se sentindo segura de que ali vão cuidar de seu animalzinho como você cuidaria.


Além desse tipo de hotel, também existem pessoas que hospedam os pets em sua própria casa, adaptada para receber esse tipo de "clientes", ou então pessoas que vão até sua casa cuidar do animal e são chamadas babás pet ou pet sitter. Procure recomendações dos serviços para ter mais segurança.


Antes de finalizar, é bom lembrar que nas festas de fim de ano costuma-se soltar fogos de artifício, situação que gera muito incômodo aos cães. Aqui na coluna Minha Vida Animal já exploramos esse assunto no mês de novembro. Confira!  


Aproveite o seu fim de ano garantindo também o conforto e bem estar dos seus cães.

Boas festas a todos, aos tutores e aos nossos amigos de quatro patas!


Veja mais

Dia dos Animais
Por que castrar seu Pet?
Cães X Fogos
Pets e Crianças
O cão é um ser social
Treinando cães
Os cães e a quarentena
Como transportar animais corretamente
Vítimas anônimas
GPS para pets já é realidade
Buraqueira, uma corujinha muito fofa
Dia Nacional dos Animais por Ângela
Pets: uma ligação profunda
O espetáculo que mata!
O perigo das latas no lixo
A saúde dos beija-flores
Seu pet e a estação do inverno
O inverno chegou e com ele a Tosse dos Canis
Aranha marrom, pequena e perigosa!
Jacu, que ave é essa?

 


Alice Manochio

Alice é adestradora de cães e trabalha com muito amor na Bicho de Boa. Foi granjeira por 17 anos até ingressar na faculdade e se mudar para o interior do estado. Hoje, além adestradora, Alice é gestora ambiental.
instagram/bichodeboa

Pesquisar




X



























© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 9 8266 8541 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR