Daycare e apoio psicológico


Fone: 11 98299 5530

O que fazer quando a família de uma pessoa idosa precisa de apoio? A psicóloga clínica especializada em gerontologia Ana Luiza Pereira enxergou aí não apenas um nicho de mercado, mas principalmente uma grande fonte de realização pessoal. Criou, há um ano, o Daycare para idosos, um serviço de retaguarda e cuidados com pessoas da terceira idade, que abrange desde assistência e suporte para atividades sociais e culturais e até o acompanhamento a consultas e exames médicos, fisioterapeutas, cabelereiros, e todo tipo de suporte para famílias que muitas vezes não têm possibilidade de fazer.

 

A isso agregou seu trabalho como psicóloga e terapeuta e adaptou a própria casa, que possui muita área verde e de extremo conforto, a Colina dos Saguis, num espaço adequado para hospedagens pontuais e de curta duração para pessoas com mais de 60 anos. “Com o Daycare, os familiares podem, por exemplo, viajar e ter a tranquilidade de deixar a pessoa idosa sob os cuidados da nossa equipe especializada, que ela terá todo o apoio necessário”, garante Ana Luiza.

 

“Uma das principais funções da família é a de solidariedade Inter geracional. Mas muitas vezes, devido às mudanças, falta de estrutura e rotina, os familiares ficam impedidos de exercer esse papel, total ou parcialmente. O que vemos então é a necessidade de partilhar essa responsabilidade mesmo nas atividades consideradas triviais. É necessário apoio psicológico tanto os idosos como aos seus familiares, já que essa é uma fase de grandes desafios onde é necessário que todos mantenham o bem-estar físico e emocional”, diz.

 

Espaço

 

Ana Luiza estuda e investe no mercado da chamada melhor idade há mais de 20 anos. Com base nessa vivência, percebeu aí uma lacuna que precisava ser preenchida em várias frentes.

 

Na Colina dos Saguis são comuns encontros, almoços festivos regados à música, boa comida e bebida. Grupos de amigos também escolhem o lugar para passar o dia e se confraternizar. Mas é no suporte às tarefas do dia a dia, na companhia e no apoio psicológico individual ou em grupo, é onde os idosos e suas famílias realmente encontram alento.

 

“Na família, o ato ou a tarefa de zelar pelo bem-estar de alguém, ou seja, o cuidar de outras pessoas, é assumido frequentemente pelos próprios cônjuges, ou pelos filhos e parentes próximos que, inúmeras vezes, deveriam usufruir também de assistência”, diz Ana. “Nossa proposta é aliviar um pouco isso tudo com um olhar atento, proximidade e profissionalismo”.

 

Envelhecer bem

 

Na visão de Ana Luiza Pereira, o envelhecimento é uma fase da vida que merece um olhar diferenciado da psicologia. Envolve mudanças estruturais relacionadas à diminuição da interação, ausência de uma atividade profissional ou aposentadoria, diminuição da vitalidade e das capacidades cognitivas. Além disso, as perdas passam a fazer parte da realidade e podem trazer sentimentos de angústia sobre si mesmo e sobre os outros.

 

“Mas isso pode ser visto e tratado com mais naturalidade. Não precisa ser sofrido ou representar um fardo para as pessoas envolvidas. Com carinho, apoio nas tarefas e nos cuidados do dia a dia, atividades de interação com amigos e familiares, atividades que promovam saúde e suporte psicológico adequado, individual ou em grupo, tudo pode ficar bem mais leve”, observa Ana. 

 

Além dessas atividades, a psicóloga presta assistência como voluntária na associação Assa – Associação Santo Antonio de Cotia e na Associação São Joaquim de Carapicuíba. No seu trabalho particular conta com uma equipe de apoio especialmente treinada por ela. 






Conte como foi sua experiência. Sua opinião é muito importante para nós.