Fone: (11) 4617-3641 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco            
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui
Voltar

18/09/2014

Silva: em busca de craques

Um craque em busca de craques: esse é Antônio Carlos da Silva, ou simplesmente Silva, jogador do São Paulo nos anos 70 e por muitos anos técnico nas categorias de base do tricolor.


Um craque em busca de craques: esse é Antônio Carlos da Silva, ou simplesmente Silva, jogador do São Paulo nos anos 70 e por muitos anos técnico nas categorias de base do tricolor. No Brasil, ainda comandou a Portuguesa por dois anos, e lá fora, treinou no Japão os times Shimizu S-Pulse e Yokohama Flugels. De volta para estas bandas, o São Paulo não o perdeu de vista e o escalou para o time profissional como auxiliar de Muricy Ramalho, onde permaneceu até junho deste ano. Desde então, Silva coordena o Independente F.C., time de Limeira que disputa no próximo sábado (20), no CT do SPFC, em Cotia, a classificação pelo Campeonato Paulista de Futebol Sub-17.

Futebol arte

Localizado no Km 27,5 da Rodovia Raposo Tavares, o Silva Futebol Arte prepara meninos a partir dos 6 anos de idade para jogar em times profissionais. A escola conta com um campo, uma academia e uma equipe composta de técnico, preparador físico, preparador de goleiro e massagista. Além dos treinos diários, os jogadores utilizam o estádio de Limeira aos sábados. “Nosso principal diferencial é a forma de ensino. Se o menino erra uma jogada, por exemplo, mostramos para ele o motivo do erro e ensinamos como deve fazê-la corretamente”.

Outro diferencial da escola de futebol é que, frequentemente, diversos olheiros a visitam em busca de futuras revelações. Silva conta que já vieram olheiros do Flamengo, do Corinthians, do Internacional, do Grêmio, do Desportivo Brasil, do Paraná Clube e do Coritiba. Isso para não falar de times estrangeiros, como o Paris Saint Germain e o Napoli. "Está para vir também um do Criciúma", afirma.

Silva também já revelou diversos jogadores: Lucas, que joga no Paris Saint Germain, Hernandes, que defende a Internazionale e o meia da seleção brasileira Oscar. “O vi jogar pela primeira vez quando ele tinha 11 anos. Nascia ali um talento”, lembra. Além deles, o técnico treinou Rogério Ceni, Cafu, Denilson, Ricardo Oliveira, Ivair, entre outros gigantes do futebol brasileiro.

A escolha de um craque

Os anos de relacionamento fizeram do técnico um profissional muito querido entre os jogadores. Em seu celular há diversos vídeos de craques agradecendo o que ele fez por eles. "É gratificante ter meu trabalho reconhecido, principalmente por meninos que vi crescer na arte de jogar futebol".

Silva explica que existem três tipos de técnico: o que treina os profissionais, o que aprimora e o que antevê quem será um bom jogador. Para ser selecionado por Silva, o menino precisar ser rápido, ter boa leitura de jogo e disciplina. “Além disso, o jogador deve renunciar a muitas coisas. Precisa saber que sua rotina será puxada, que investirá muito tempo em treinos e ficará grande parte de seus dias ou na concentração ou em um avião. E claro, não poderá beber nem fumar, afinal seu maior patrimônio é o seu físico”, finaliza.


Serviço:
Silva Futebol Arte
Facebook
Celular: (11) 97802-8555 ou ID 120*33548

 








 

Pesquisar



















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR