Fone: (11) 4617-3641 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco            
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui
Voltar

19/06/2012

Notícia - Protesto acaba

O que era para ser um protesto pelas péssimas condições de uma estrada, acabou em embargo e gente parando na delegacia.


O que era para ser um protesto pelas péssimas condições de uma estrada, acabou em embargo e gente parando na delegacia.

Há muitos meses que os moradores da região da Estrada Carlos Pereira de Castro reclamam da péssima condição da via, que liga a Estrada Fernando Nobre à Estrada das Pitas. Muitos buracos e crateras, causados, principalmente, pela má conservação e excesso de caminhões que circulam pela região.

Os caminhões, em sua maioria de terra e entulho, são de novos empreendimentos que brotam da noite para o dia nesta região que, até há pouco tempo, era composta de poucas chácaras e condomínios.

O cotiatododia publicou há algum tempo a reclamação dos moradores e recentemente o desabafo de um deles e até agora nada foi feito. Por causa disso, ontem um grupo de pessoas se reuniu para protestar e fecharam a via na esquina com a Estrada Manoel Lages do Chão, no bairro Caiapiá.

Transtornos
Os moradores disseram que cerca de 50 caminhões trafegam por hora, dia e noite e que causam muitos transtornos para quem trafega pelo local. Um morador contou que os caminhões param em frente ao portão de sua casa, o que dificulta a entrada e saída da residência.

"Já decorei todos os buracos que tem na estrada", comentou um dos presentes no protesto, que disse não aguentar mais o tráfego de caminhões, que segundo ele, andam em velocidade incompatível com a via.

O intuito dos moradores era de chamar a atenção da Prefeitura para as condições da via. Um dos atuais motivos para a degradação do asfalto do bairro seriam os caminhões de um aterro na Rua Nova York.

Polícia no aterro
Com o movimento e a chegada da imprensa, caminhões e máquinas simplesmente sumiram do aterro, que fica há um quilômetro do local do protesto. Minutos depois foi a vez de investigadores da Delegacia de Crimes Ambientais aparecerem no local.

O responsável pelo aterro e alguns "parceiros" da empreitada estavam no aterro. Apresentaram toda a documentação necessária para a obra, autorizada pela Prefeitura de Cotia. No terreno serão vendidos 28 lotes de 800 a 1200 m².

Os investigadores conversaram com o cotiatododia e disseram que aparentemente não havia nada ilegal, pois o responsável pelo aterro apresentou toda a documentação, mas, a polícia o conduziu até a delegacia e quem conduziria o caso será o delegado responsável.

Embargo
No momento em que conversávamos com os policiais, uma equipe da Secretaria de Habitação e Urbanismo esteve na obra e constatou irregularidades.

Segundo José Benvindo, engenheiro da Prefeitura, o aterro foi embargado por que a terra escorregou e assoreou um córrego que passa ao lado e ainda foi detectado a presença de lixo difuso. O responsável pela obra também responderá por crime contra o patrimônio público, pelos danos causados à estrada.

O secretário de Meio Ambiente, André Vasquez, chegou ao local, conversou com os moradores e garantiu que com o embargo, nenhum caminhão poderá entrar ou sair da obra.

Com relação ao trânsito de caminhões e as infrações por eles cometidas, o diretor do Demutran, Paulo Vicente, disse que irá ao local estudar o que pode ser feito para coibir a ação dos caminhoneiros.

Obras de pavimentação
A Estrada Carlos Pereira de Castro é uma das contempladas pelo projeto Asfalto Novo, parceria do Governo do Estado com a Prefeitura. Procurada por nossa reportagem na tarde de ontem para dizer sobre o prazo de início das obras, a Prefeitura não respondeu até a publicação da matéria.

Fotos e matéria: site Cotiatododia








 

Pesquisar





















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR