TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco            
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui
Voltar

27/02/2014

Projeto Japi-Morro Grande mostra resultados

A Prefeitura de Cotia realizou no último dia 24 uma reunião aberta do Grupo de Trabalho que atua no projeto de criação de unidades de conservação e do corredor ecológico da região da Serra do Japi – Morro Grande – Jurupará.


A Prefeitura de Cotia realizou no último dia 24 uma reunião aberta do Grupo de Trabalho que atua no projeto de criação de unidades de conservação e do corredor ecológico da região da Serra do Japi – Morro Grande – Jurupará. O evento contou com a participação do secretário estadual do Meio Ambiente, Bruno Covas. Foram apresentados os relatórios de atividades dos trabalhos bem como iniciadas as discussões das próximas ações. O projeto envolve os municípios de Barueri, Cajamar, Cotia, Itapecerica da Serra, Santana de Parnaíba e São Lourenço da Serra. O grupo de trabalho (GT) começou suas atividades em março do ano passado.

Tendo como base teórica diversos estudos realizados por universidades e ONGS, o GT realizou diversas ações de base em 2013. Em busca de identificar os principais agentes sociais da região, bem como seus interesses, foram efetuadas visitas técnicas. Dessas visitas foram identificados também representantes desses grupos para a montagem de um plano de ação que contemplasse todos os envolvidos. Apesar de parecer uma etapa simples, o relatório mostrou que sua conclusão foi bem mais complexa do que se mostrou inicialmente. Em seguida, por meio de contratação de consultoria especializada, foram feitos os levantamentos humano, fundiário e natural da região em estudo. Identificaram-se 12 áreas chamadas de “Proteção Especial” totalizando aproximadamente 51 mil hectares.

Parcerias privadas e internacionais

Ficou determinado que as áreas localizadas em RPPNs – Reservas Particulares de Patrimônio Natural - terão seus serviços ambientais devidamente remunerados a R$ 202,00 por hectare/ano durante cinco anos. As RPPNs são áreas de preservação que ficam dentro de propriedades particulares e sob a responsabilidade de preservação a cargo de seus proprietários. A decisão de remuneração a eles pela preservação, o deu-se como incentivo ao dono da terra.

As propostas de ação e preservação serão executadas de maneira integrada com áreas protegidas pelo Estado e pela União. Além das RPPNs espera-se definir seis áreas de proteção municipais na região abrangida, que serão geridas em conjunto com o poder púbico estadual. O desenho dos projetos deve permitir, inclusive, captação internacional de recursos, duas delas já em processo inicial de negociação com potenciais investidores.










 

Pesquisar




X















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR