Fone: (11) 4617-3641 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco            
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui
Voltar

16/07/2012

Notícia - Novos Pedágios

Por: José Benedito da SilvaFolha.


Por: José Benedito da Silva
Folha.com - Cotidiano

A cobrança eletrônica de pedágio, que o governo de São Paulo vai implantar nas rodovias privatizadas, levará milhões de motoristas a pagar para circular até nos entornos das cidades, onde as estradas são usadas como vias urbanas.

Entre os trechos de tráfego urbano que serão pedagiados estão, por exemplo, aqueles que ligam a capital paulista ao aeroporto de Cumbica (Rodovia Ayrton Senna), a São Bernardo (Anchieta) e a Cotia (Raposo Tavares). Hoje, eles não têm praças de pedágio, mas o deslocamento gratuito vai acabar por conta da instalação dos pórticos ao longo da via, que vão ler chips nos carros para fazer a cobrança.

No teste que está sendo feito na SP-75, entre Indaiatuba e Campinas, há um pórtico a cada 8 km (foto). Com esse intervalo, as vias serão praticamente 100% pedagiadas. A implantação da cobrança, planejada para 2013 ou 2014, vai depender de um cálculo político difícil para o governador Geraldo Alckmin (PSDB): se, por um lado, o sistema é mais justo e permite reduzir a tarifa, por outro, vai cobrar de muito mais gente.

Nem a Artesp (agência de transportes do Estado) nem as concessionárias sabem quantos usam as rodovias sem pagar. O único estudo feito e sempre citado como parâmetro na Dutra, uma via federal, apontou que só 9% dos carros pagam pedágio.
Se o percentual for parecido nas vias estaduais, com o chip, deve multiplicar por dez o número de carros tarifados -foram 790 milhões em 2011.

"O ponto crítico, não tenho dúvida, é quem não paga e passará a pagar", afirma Karla Bertocco Trindade, diretora-geral da Artesp. Para ela, porém, o Estado não pode dizer "você paga e você não". "A questão é: usou, pagou".

Haverá impacto em dois casos: em rodovias que são vias urbanas ou metropolitanas e em ligações entre cidades onde hoje não há cabines.

Na primeira, estão os exemplos acima e outros, como o da rodovia Dom Pedro 1º, que liga Campinas a três shoppings, condomínios, à Unicamp e à PUC Campinas. Na segunda, os trechos entre São Carlos e Araraquara (Washington Luís) e Limeira e Piracicaba (Anhanguera).

Em todas as rodovias, porém, haverá um "perde e ganha": alguns usuários pagarão menos e outros, que não pagam, passarão a pagar.
Um exemplo claro é a própria SP-75. Entre Indaiatuba e Campinas há uma praça, que cobra R$ 10,10. Com os pórticos, o valor cai para R$ 4. Na via, porém, quem roda entre Indaiatuba e Sorocaba não paga hoje, mas vai pagar.

Entenda como funciona:
O que é: O sistema ponto a ponto é uma forma eletrônica de cobrança de pedágio que dispensa cabines e que será implantado nas rodovias estaduais privatizadas. Vai permitir a cobrança por Km rodado.

Como funciona: Haverá pórticos fixos em pontos da rodovia, provavelmente com intervalos inferiores a 10km, com antenas e leitores de TAGs (chips) afixados nos carros. O sistema faz a leitura e debita automaticamente a tarifa.

O Chip: Para circular nas rodovias, o carro terá de ter um TAG (Chip). A medida será facilitada porque, a partir de 2013, o chip passa a ser obrigatório em todo o País.

Fiscalização: Se um motorista sem chip passar pelo pórtico, ele não terá uma barreira fixa, mas será multado R$ 127 e ganhará cinco pontos na carteira de habilitação. Haverá leitores automáticos de placas nos pórticos.

Como pagar: O pedágio poderá ser pago por boleto, cartão de credito ou debito em conta. Haverá modalidade pré-paga como nos telefones celulares.

Cronograma: O sistema é testada hoje nas rodovias SP-75, entre Indaiatuba e Campinas e SP-360, entre Itatiba e Jundiaí. Haverá testes, ainda, em mais duas ou três regiões. A implantação em todas as rodovias privatizadas está prevista para 2013 ou 2014.









 

Pesquisar

























© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR