Fone: (11) 4617-3641 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco            
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui
Voltar

08/04/2009

Intercâmbio:

Não tem jeito, de uma hora para outra os filhos crescem e a gente se depara com o famoso assunto do intercâmbio.


Não tem jeito, de uma hora para outra os filhos crescem e a gente se depara com o famoso assunto do intercâmbio.

A cada ano, mais e mais jovens se interessam em buscar no exterior o convívio com outras culturas, aperfeiçoar o idioma ou mesmo aprender a viver longe dos pais.

Aqui na comunidade granjeira não é diferente. Recentemente diversos jovens passaram por esta experiência e acreditamos que as dicas deles são importantíssimas para esclarecer o assunto aos pais e estimular mais jovens a aventurar-se em outros países.

Para Luiza Junqueira Franco, de 16 anos, que foi para Nova Zelândia durante seis meses, a vivência em outro país é maravilhosa e inesquecível."Além de aprender outra língua conheci pessoas não só da Nova Zelândia, mas também de outros países, como minha "Host Sister" que é da Alemanha e outros intercambistas. Conheci lugares maravilhosos, e vivenciei momentos inesquecíveis. Meu relacionamento com a família é maravilhoso! Eles estão sempre abertos a me ouvir e me ajudar quando eu preciso. Sempre viajamos e saímos juntos. Com certeza a melhor parte do meu intercâmbio foi ter caído na família que eu caí. Gostei muito de fazer intercâmbio, todos deveriam ter esta oportunidade. Quando você chega lá é tudo muito diferente é outra experiência de vida. Aprendi a ser tolerante e respeitar as pessoas, as regras, e conheci muitas culturas diferentes. A cidade, por exemplo, é completamente diferente, apesar de estar numa cidade grande, Auckland, a maior da Nova Zelândia, tudo era lindo, preservado, não havia mendigos ou favelas. Minha adaptação foi rápida e fácil, ao contrário de algumas outras amigas. Minha família sem dúvida facilitou esta adaptação, lá eles não tem costume de abraçar, beijar, mas quando eu cheguei eles me cumprimentaram com beijo, pois sabem que no Brasil é assim. Eles eram muito legais me levavam para viajar, passear e abriram a casa para os amigos que fiz por lá. Convivi muito com estrangeiros, que também estavam fazendo intercâmbio, as minhas melhores amigas eram uma alemã e uma italiana, continuamos a nos falar com frequência pelo Facebook e pelo MSN. A Dani, alemã, vira em julho para o Brasil e ficará em casa por um mês, eu já tenho planos de ir visitá-las na Itália e na Alemanha, aliás, não vejo a hora!


Aula de cooking.Bungy Jump.
Internacionais na Escola.Viagem com minha Host Family.


Bruna Cavalcanti ainda está em viagem, com data prevista de regresso em julho de 2009. Saiu daqui em junho de 2008 para um "culture and language camping" em Boston, com intercambistas do mundo todo, e agora está fazendo High School no Arkansas, EUA.

Para ela a parte mais difícil do intercambio foi a adaptação com a cultura e hábitos locais, afinal ela saiu de uma cidade grande com 19 milhões de habitantes e foi parar em uma cidade com 10 mil habitantes, na zona rual. "Depois de um tempo eu comecei a conhecer mais gente, todos me receberam de braços abertos e sempre interessados a ouvir mais sobre o Brasil, e ficou tudo mais fácil. Ao longo do ano fui me adaptando à vida e aos hábitos americanos, coisas que quando eu cheguei aqui achava estranho que as pessoas faziam, e agora quando percebo estou fazendo também. Só que as maiores diferenças só vou perceber quando chegar ao Brasil. Também fiquei aberta a mais coisas, como por exemplo, experimentar coisas novas, e comidas...Quando sai do Brasil era muito fresca com comida, agora como até legumes...


Minha host family e eu (Bruna),
comendo marshmelow no rio
ao lado de nossa casa.
Viagem de barco para Carolina do Sul,
no feriado de thanks givin.
Hidromassagem, na neve, em Taos
(spring break).
Esquiando em Taos, Novo México,
com Ashley (cousin).


Diversas são as empresas especializadas em levar jovens em programas de intercâmbio, entre as consultadas pelo Site da Granja, o STB respondeu com algumas dicas interessantes para quem está pensando no assunto.

Claudia Martins, do Student Travel Bureau - STB, dá algumas dicas para pais e filhos que querem fazer intercâmbio.

O intercâmbio e cheio de desafios, a parte mais difícil e ter que passar por eles sem ajuda de ninguém conhecido:

1- Pesquisar, pesquisar e pesquisar: informação é tudo para tornar a experiência mais rica e a adaptação mais fácil. Mesmo com o suporte especializado de uma agência, é preciso que cada um faça sua lição de casa, aprendendo tudo o possível sobre o destino, hábitos, clima, atividades. Viaja-se para confirmar expectativas, não para cair no desconhecido.

2- O High School é um dos maiores presentes que os pais podem dar a seus filhos: numa das fases mais importantes da sua formação, o jovem ganha a oportunidade de vivenciar a autonomia e mostrar que tem toda responsabilidade para lidar com ela. Saiba usar este presente com sabedoria e como um passo fundamental em direção à vida adulta.

3- Esta é para os pais: o período entre a primeira visita a uma agência e o embarque para o exterior deve servir de preparo psicológico para vocês também, para que consigam, na hora H realmente "abrir mão" de seus filhos. Ficar aqui no Brasil pensando em cada minuto do que ele deve estar fazendo, ligando mil vezes, mandando e-mail e querendo saber todos os detalhes não sufoca somente ele, mas vocês também. Estabelecer uma nova rotina de vida é muito importante desde os primeiros dias.

4- Regras são regras: é muito importante saber que não será possível quebrá-las ou "dar um jeitinho".

5- Um dos pontos fundamentais do High School é a troca de experiências com outras pessoas: olhos, ouvidos e coração aberto para tudo que é novo, tudo que é diferente. O relacionamento com as pessoas que conhecer nesta viagem fará com que você desenvolva várias habilidades muito importantes para a vida pessoal e profissional, como respeito, tolerância, empatia.

6- Você não só conhecerá outra cultura como será representante da sua própria, em outro país. Tenha sempre orgulho de suas origens e mostre o que há de nobre, bom e rico em sua cultura através do seu próprio comportamento.

7- A vida social do estudante de High School está totalmente ligada à família ou à própria escola. Em seu tempo livre, procure estreitar o contato com sua "host family" ou participar de atividades extras curriculares ou de algum trabalho voluntário. Isto significa muito e aproximará você da comunidade em que vive. Não espere que convidem você para as atividades

8- Nada de horas e horas ao telefone ou no computador. Isso rouba tempo preciso do convívio com as outras pessoas. Afinal, você não viajou para tão longe para continuar só conversando somente com seus amigos do colégio aqui do Brasil, não é?

9- Dedique-se a todas as matérias igualmente. Não esqueça que as matérias obrigatórias do currículo brasileiro e que estão presentes em todos os outros países, como Matemática, Química, Física e Biologia são essenciais para a validação do seu currículo na volta ao Brasil.

10- Saiba lidar com problemas sem se alarmar. Exercite sua maturidade e autonomia, pondere as coisas que acontece com você, procure ver o assunto sobre diversos ângulos. Se necessário, procure a ajuda dos adultos à sua volta, como seus "host parents" ou seus professores.

Agências de Intercâmbio
www.stb.com.br
www.rotaryintercambio.com.br
www.ef.com.br
www.experimento.org.br
www.intercambio.com.br










 

Pesquisar



















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR