TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco            
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui
Voltar

11/04/2018

A Gestão Magno Sauter na Saúde

Por Mônica Krausz  Ele é médico cardiologista com especialização em gestão e auditoria médica pela Fundação Getúlio Vargas.


Por Mônica Krausz 

Ele é médico cardiologista com especialização em gestão e auditoria médica pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou desde que se formou na rede pública e privada como médico, possui algumas clínicas próprias em Cajamar, Osasco e Itapevi e está concluindo MBA em Gestão Hospitalar. Há um ano o jovem Magno Sauter, de 37 anos, foi convidado pelo Prefeito Rogério Franco para trazer a sua experiência de gestor da área privada para a área pública otimizando o atendimento e economizando verbas.

Com a sua chegada, alguns termos diferentes começaram a surgir como “metodologia 5S” de organização de espaços, “metodologia 5W2Hs” para elaboração de projetos e por ai vai. O Site da Granja foi conversar com Secretário Magno Sauter para fazer um balanço deste primeiro ano gestão pública com “pegada” privada e conseguiu enxergar um gestor empenhado em zerar as filas nas UBS, PAs e também no atendimento especializado. Um gestor que busca engajar as equipes sob seu comando, que foca prevenção ou como ele prefere dizer “Promoção de Saúde”.

Com a metologia 5W2H, por exemplo, os gestores de saúde - coordenadores de região e diretores médicos, administrativos e de enfermagem das unidades de saúde - aprenderam a fazer projetos baseados em 7 questões What (o quê ), Why (por que?), Where (onde desenvolver?), When (quando fazer?), who (quem vai fazer?), How (como fazer?) e How much (quanto vai custar). Respondendo a estas perguntas o gestor logo vê se a ideia é viável e pode ser executada dentro da disponibilidade de local, tempo, equipes e orçamento, por exemplo. Segundo ele, isso otimiza muito a gestão. “Eu tenho tentado trazer ao máximo estas ferramentas de gestão para dar maior economicidade e abranger ao máximo o atendimento SUS e isso vem surtindo efeitos”, comemora o Secretário.

Segundo ele, quando assumiu a Pasta da Saúde, as filas para marcar consultas nas UBSs eram muito críticas. “Algumas vezes só se conseguia marcar uma consulta para o ano seguinte”, lembra. Hoje, o Secretário afirma que já se consegue marcar uma consulta com pediatra ou clínico geral nas UBSs da cidade para depois de 5 ou 6 dias. Nas situações mais demoradas, 35 dias.  

O que foi feito para isso? Entre outras ações, informatizou-se as UBSs. Hoje de acordo com o Secretario, 100% das UBSs estão informatizadas e criou-se um sistema de marcação e confirmação de consultas por telefone para evitar o absenteísmo (a ausência nas consulta), que chegava a 40%. Ou seja, uma central telefônica entra em contato com os pacientes para confirmar as consultas marcadas e evitar que eles faltem. Segundo Sauter, é uma coisa simples, mas que faz diferença já que estima-se que o absenteísmo tenha caído para 20%.

“Geralmente as pessoas pensam que é preciso contratar mais médicos, mas veja, se eu tenho uma situação em que em cada 10 consultas marcadas, 4 são perdidas porque o paciente não vem, eu tenho o médico ocioso em 4 horários de atendimento. Ou seja, eu não preciso contratar mais médicos, mas preciso evitar que ele perca estes horários”, explica. E é assim que está sendo.

Outro hábito do secretário é fazer visitas surpresa às UBSs. “Eu sou muito preocupado com organização, até em casa, com a minha família e se eu percebo que uma UBSs está desorganizada, eu já solicito um novo treinamento para resolver o problema”, conta. “Eu penso que se você precisa de uma pasta e sabe onde ela está, você pega a pasta logo e volta a atender. Mas se você precisar procurar a pasta, pode deixar de atender alguém”, exemplifica.

Sauter diz que o seu trabalho no gabinete é muito importante na gestão dos processos, mas a sua presença nas unidades de saúde também serve para engajar as pessoas. “Se eu chego na unidade e vejo muita fila eu começo a atender também”, conta. “Para o paciente tanto faz se eu sou o Secretário ou não, mas para as equipes que estão atendendo isso gera um comprometimento enorme”, diz. É por isso que ele também criou grupos de Whatsapp para todas as unidades de saúde do município e participa de todos eles. Para “engajar”. Está parece ser sua palavra de ordem.

Segundo Magno Sauter, os efeitos da gestão eficiente são efeitos que podem ocorrer em curto prazo, mas a grande maioria deles ocorre em médio e longo prazo. Ele explica que cabe ao município, dentro da hierarquia do SUS a atenção básica, ou seja, primordialmente as consultas com pediatra, clínico geral e ginecologista e obstetra. É por isso que o seu grande foco hoje é a Prevenção.

“Realizando a promoção de saúde por meio de consultas preventivas e reeducação dos pacientes eu consigo melhorar o seu estilo de vida e fazer com que precise menos de remédios e dos serviços médicos”, explica. É por isso que a Secretaria de Saúde também vem fazendo parcerias com universidades da região para levar programas de atividades físicas e reeducação alimentar para dentro das UBSs. “Se eu consigo que o munícipe pratique exercícios, não fume e se alimente melhor eu vou tratar de menos diabetes, hipertensão, AVCs, doenças renais, entre outras que geram um custo enorme para a saúde e um custo emocional imensurável para os pacientes e suas famílias”, ressalta.

Para Magno Sauter, hoje estas doenças vêm crescendo muito e se o gestor público não enxergar que tem de realizar uma política pública de promoção de saúde muito agressiva para reduzir estes números daqui a 5, 6, 8 ou 10 anos, a conta disso no futuro vai vir muito cara. “A municipalidade não consegue arcar com essa conta da saúde terciária – de média e alta complexidade - que é muito pesada”, diz. Nesta semana, por exemplo, o município está recebendo a carreta da Mamografia para ofertar mais exames preventivos para as mulheres da cidade, uma outra ação de Promoção de Saúde.

E por falar nestes atendimentos de alta complexidade, muitas vezes o próprio secretário tem ido pessoalmente à casa de alguns doentes para avaliar sua situação e encontrar a melhor solução para o seu atendimento.

Outro foco do novo gestor da saúde de Cotia é o RH, os recursos humanos, segundo ele, esta é a principal dificuldade de quem vem do setor privado para o público já que no setor privado você “monta o seu time”. Quando eu tenho um time que não se pode mexer, eu preciso atuar ainda mais na capacitação deste time. É o que ele vem fazendo também.

Quanto aos medicamentos, sua atenção tem se voltado para o armazenamento e distribuição. “Otimizamos a distribuição de medicamentos no almoxerifado e com isso reduzimos a quantidade de medicamentos vencidos”, conta.

Outra ferramenta disponibilizada em sua gestão é o App Saúde Simples Cotia, disponível para Androide e em fase de testes para IOs. “Com ele o munícipe consegue localizar onde encontrar o medicamento que precisa, visualiza suas consultas realizadas e as agendadas e sabe até qual é a melhor forma para chegar ao local do atendimento” conta.

Magno Sauter encerrou nossa entrevista afirmando que ainda quer fazer muito mais do que já fez neste primeiro ano e que sua meta é deixar além das filas zeradas nas UBSs, também no atendimento especializado e nos Pronto Socorros. “Conseguindo isso estarei realizado”.

Saiba mais sobre as ações de saúde de Cotia acessando
http://novo.cotia.sp.gov.br/secretaria-municipal-de-saude/










 

Pesquisar




X















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR