Fone: (11) 4617-3641 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco            
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui
Voltar

15/10/2009

Notícia - 46ª reunião Think Tank

Na terça-feira, dia 13, aconteceu no Restaurante Félix Bistrot a 46ª reunião do Think Tank - Pensar e Agir Granja Viana, um setor organizado da sociedade civil que busca soluções para os problemas pertinentes à Granja Viana.


Na terça-feira, dia 13, aconteceu no Restaurante Félix Bistrot a 46ª reunião do Think Tank - Pensar e Agir Granja Viana, um setor organizado da sociedade civil que busca soluções para os problemas pertinentes à Granja Viana. Com o tema Segurança, estiveram presentes as autoridades responsáveis pela Segurança da Região: o delegado de Polícia Titular de Cotia, José Aparecido Sanches Severo; o delegado titular do 2º DP Granja Viana, Alexandre Palermo; o comandante da 3ª Cia. do 33º Batalhão da Polícia Militar (Cotia), capitão Odair Camargo; o comandante da 1º Cia. do 33º Batalhão (Carapicuíba), capitão Souza Diniz e o secretário de Segurança de Cotia, Nelson Bruno.

A reunião, presidida pelo advogado Roberto Ferrari de Ulhôa Cintra, contou também com a presença dos vereadores Toninho Kalunga e Zeca Pamplona e de profissionais de diversos segmentos, moradores da região. Cada um dos convidados teve 15 minutos para responder às questões formuladas pelo Tink Tank.


Crescimento acelerado

Inicialmente, o delegado da Granja Viana, que apresentou os gráficos da média mensal de criminalidade na Grande São Paulo, explicou que uma das causas do aumento das ocorrências na região é o seu crescimento acelerado. "O grande afluxo de pessoas, de novas empresas e de residenciais trazem os mesmos problemas da capital. Hoje, fala-se muito em impacto ambiental, mas existem outros impactos. Todos os municípios da Grande São Paulo cresceram sem planejamento ou estudo sobre a segurança".

Desigualdade social

Outro fator importante para os policiais, civis e militares, foi a desigualdade social. "Ela gera a violência, a intolerância e outros tipos de criminalidade. A sociedade toda é responsável pela questão Segurança. O problema começa a partir do momento em que paramos em um farol sem olhar para o garoto que está ali", falou Alexandre Palermo.

Limites

Para ele, há também uma distorção a respeito dos Direitos Humanos que são fundamentais, principalmente em relação à Educação. "A noção de limites é muito importante. As drogas são um exemplo. Hoje, vemos muitas ações, mas isoladas que acabam perdendo a força. Devemos dar apoio aos vereadores e deputados que se preocupam com a questão".

Trabalho Social

O delegado Severo fez questão de salientar que, hoje, a polícia não mede esforços para se reciclar. "Mas o que resolve realmente os problemas de Segurança são os trabalhos realizados como o do Walter Steurer, do Projeto Âncora", falou referindo-se ao trabalho social realizado pelo empresário, também presente à reunião.

Comprometimento

Responsável pela Cia. de Carapicuíba, o Capitão Diniz, explicou que, hoje, a Polícia Militar obedece a seis metas que o comandante geral estipulou. Entre elas, ouvir as pessoas e seus problemas e levar ao comando idéias e contribuições. Outra meta é combater o crime organizado. Para ele, todos têm de participar já que a PM direciona o policiamento baseada em informações. Também, assim como deve haver o comprometimento do policial, deve haver a sua valorização. "No momento da abordagem, ou fazemos um amigo, ou prendemos alguém. É difícil recebermos um elogio", explicou.

Polícia Comunitária

Para o Capitão Odair, nos países que hoje estão em estado de segurança, houve reformulações nas suas polícias. "A Polícia Militar sofre ainda de uma espécie de revanchismo, devido à ditadura. Não somos uma polícia militar na acepção da palavra, o termo é só administrativo. Hoje, somos uma polícia comunitária". Ele fala sobre um trabalho realizado pela PM, no Jardim Ângela, bairro da cidade de São Paulo conhecido por ser uma das regiões mais violentas do mundo e onde, hoje, a criminalidade caiu a zero, devido ao policiamento comunitário. "Íamos às mães, conhecer um pouco da família, de seus problemas e anseios. Um trabalho próximo a de um assistente social. Um caminho positivo que deu resultado".

Nova Reflexão

O Capitão explica ainda que o relacionamento entre polícia/comunidade precisa ser próximo. "Aqui em Cotia, trabalhamos com legalidade. Não admito excessos. A região está crescendo muito e esperamos dos moradores uma nova reflexão. É importante que cooperem com a polícia já que trabalhamos com a informação. Disquem 181 (disque denúncia) para nos informar e até para agradecer um bom trabalho e façam boletins de ocorrência porque se as estatísticas crescerem irão justificar o aumento do efetivo".

Ações Conjuntas

Além de todos apontarem as mesmas causas, problemas e a importância das ações conjuntas com a sociedade, os cinco responsáveis pela Segurança da região foram unânimes ao dizer que, em Cotia, as polícias Civil e Militar e a Guarda Municipal trabalham juntas. "Hoje, temos as polícias trabalhando em prol da segurança. Porém, sem se comunicar entre si. Aqui em Cotia existe uma abertura. As ações policiais são preventivas e pautadas em locais onde as ocorrências são maiores. As operações são feitas em conjunto e existem trabalhos educativos preventivos. As soluções são viáveis, não podemos falar das utópicas. A polícia tem que ser comunitária, mas ser atuante e torna-se primordial as forças da Segurança Pública se integrarem com a sociedade", falou Alexandre Palermo.

Pensar Diferente

Após as palestras, os presentes fizeram perguntas aos convidados. Ulhôa Cintra encerrou a reunião explicando que a função do grupo é o de dar soluções novas e de pensar diferente. "Fomos provocados por um grupo de senhoras que hoje não estão presentes. As pessoas dão o seu recado e vão embora, achando que o problema está resolvido". Cintra pediu ainda a intervenção de todos os presentes com atos ainda não pensados, falou da importância de se fazer o boletim de ocorrência e o apoio à polícia. A imprensa presente se prontificou a divulgar estas ações à comunidade.

Falecimento

A nota triste da noite foi o falecimento do jornalista e advogado Nicodemos Sposato Neto, que sofreu um infarto fulminante poucos minutos após chegar à reunião. O jornalista foi encaminhado imediatamente por uma viatura da Policia Militar para o Hospital de Cotia, mas não resistiu. Morador de Caucaia do Alto, Nicodemus era assessor de Imprensa da Faculdade de Engenharia da Universidade de São Paulo e presidente da Avilesp - Associação das Vítimas de Loteamentos do Estado de São Paulo.


Reuniões Think Tank (Pensar e Agir Cotia)
Local: Restaurante Felix Bistrot - Rua José Felix de Oliveira, 555
Quando: de 15 em 15 dias, sempre às terças-feiras.
Horário: das 20h00 às 22h30
Inscreva-se pelo telefone: 11 4612-8458


Fotos: Ligia Vargas

Angela Miranda
Jornalista, Geógrafa e moradora da Granja Viana há mais de 20 anos.









 

Pesquisar





















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR