TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 | Quem Somos | Anuncie Já | Fale Conosco            
sitedagranja
| booked.net | Newsletter

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

ASSINAR

| Anuncie Aqui

Carreira 40+ Voltar

01/03/2017

Bonzinho X Competente


Praticamente todo mundo conhece alguém muito gente boa. Daqueles que estão sempre com sorriso no rosto e dispostos a parar para conversar e ouvir o que você tem a dizer. Em ambientes tão competitivos quanto os encontrados nas corporações, em que nem todos se dão ao trabalho de dizer ao menos bom dia, encontrar alguém assim tão disposto a ser relacionar de forma harmônica pode ser um golpe de sorte.

Ou não, se a figura de bom moço ou boa moça for justamente para disfarçar a falta de capacidade de entregar resultados. A cultura brasileira favorece a manutenção dos "gente boa" pouco produtivos. Isso porque somos acolhedores por essência. "Fulano é tão gente boa que não dá para brigar com ele". Brigar não devemos mesmo com ninguém, mas cobrar resultados e dar feedback mesmo quando negativo devemos para com todos.

Sem dúvida que as competências comportamentais são de extrema relevância e respondem por mais de três quartos das demissões sem justa causa. A questão é não confundir competências comportamentais como proatividade, resiliência, comunicação assertiva, percepção do outro, com apenas um sorriso no rosto.

Veneno Oculto

Aquele que vem, traz um café ou um docinho depois do almoço, pergunta como foi seu fim de semana é muito bem-vindo desde que não seja só isso. Quando esse perfil não entrega as tarefas no prazo, vive dando desculpas evasivas como estou providenciando ou estou esperando fulano que ainda não me deu retorno e histórias semelhantes, esse colaborador pode estar sendo muito mais nocivo do que se imagina.

Além de tomar o lugar de alguém produtivo, ele pode atrapalhar toda a cadeia em que está envolvido, bem como, em alguns casos, virar o jogo em cima de quem cobra dele as obrigações não feitas. É como se o outro fosse alguém "do mal" ou perseguidor, pegando no pé da pobre vítima sorridente.

Por isso atenção ao seu colaborador ou colega muito "gente boa" nunca é demais. Será que ele está realmente harmonizando o grupo ou abrindo um enorme precedente para a não entrega de resultados e, com isso, influenciar no crescimento da empresa em médio prazo? O quando alguém cuja contribuição para o todo se dá somente na superficialidade é realmente gente boa? Simpatia e gentileza são características essenciais em qualquer profissional e devem fazer parte dos quesitos requeridos pela empresa. Mas sozinhas não sustentam nem o próprio colaborador, muito menos a empresa.


Veja mais

Empresas que desmotivam
Atualização Profissional
Atualização Profissional
Atualização Profissional
Produtivo sem deixar de ser livre
As Emoções e o Dinheiro
O RH e o Big Data Governamental
Quando a empresa vira alvo na internet
Fake News, você está preparado?
É preciso ser empreendedor?
2018: O que precisa ser feito
A revolução dos lixeiros
Home office e a Lei
O pensamento positivo e o medo
Duelo improdutivo por Karen
Escolha de carreira por Karen
Dá tempo de ser mãe e trabalhar?
Terceirização: questão de coerência
Quando o RH atrapalha o treinamento
A educação financeira nas empresas

 


Karen Gimenez

Karen Gimenez - Master Coach, PNL Master e Coach em Inteligência
Financeira. Professora de Pós-Graduação e Diretora de Grupos de Estudos da ABRH
- Associação Brasileira de Recursos Humanos - Regional Alphaville. Atua
como processos de Coaching Executivo e de Negócios, desenvolvimento de
lideranças e porta vozes, gerenciamento de crises, gestão de conflitos e
consultoria estratégica em desenvolvimento de pessoas e equipes. Jornalista com
pós-graduação em Estratégia Empresarial e Geógrafa com especialização em Gestão
do Terceiro Setor. 



Contatos: karen@kgcoaching.netwhatsapp (11) 9 9114-2681 www.kgcoaching.net

Pesquisar




X















© SITE DA GRANJA. TELEFONE E WHATSAPP 96948-3326 INFO@GRANJAVIANA.COM.BR